ESTRÉIA DE DOMÉNEC TORRENT NO FLAMENGO

Primeiro jogo sem Jorge Jesus e será que o Doménec vai conseguir manter o altíssimo padrão de qualidade?

Transição! Tá aí uma palavra que nas últimas semanas, ganhou tons rubro-negros!

Até porque, pelo menos 30 anos nunca foi tão difícil substituir alguém no Flamengo, a saída de Jorge Jesus estremeceu o clube que buscou o nome pouco conhecido para substituir. O espanhol Doménec Torrent vai estrear contra o Atlético Mineiro, e com apenas uma semana de trabalho, as primeiras impressões foram muito mais pessoais que profissionais.

“São cinco dias de treino com ele entendeu? É muito pouco para para gente falar alguma coisa, pouco para gente analisar. Fato é que é diferente, é diferente algum motivo de treino, é diferente a maneira que ele cobra, diferente a maneira que ele fala. Não são as mesmas pessoas”.

A escalação deve ser aquela conhecida do torcedor, a dúvida é a presença de Rafinha na lateral direita, se ele não puder jogar entre o João Lucas! O Maracanã vazio foi o palco da despedida de Jorge Jesus, e assim também vai estar o estádio para a primeira vez do novo técnico do Doménec Torrent, vai começar a construir a sua história no Flamengo sabendo que esse tipo de transição, aqui no futebol Brasileiro não é fácil!

Cláudio Coutinho um dos maiores nomes o rubro-negros, moldou a geração campeão mundial. Foram quatro anos na gávea com intervalo de um ano servindo a seleção que disputou a copa de 78. Quando o Coutinho saiu depois de um tri e o título brasileiro em 80, os meses seguintes foram de tentativas e erros!

“Coutinho foi um técnico que armou todo aquele time do Flamengo e que deu o senso mais tático, e lógico que a gente já estava acostumado com aquele sistema, sentimos bastante com a saída dele” diz Zico.  Coube ao modesto Bria,  jogador do Fla a cumprir um mandato tampão de 17 jogos.

“E depois veio Dino Sani, que exatamente por mais competência que tivesse, tinha outras ideias completamente diferente e houve uma certa dificuldade, até a gente se adaptar”, segundo o ex jogador Junior. A passagem de Dino Sani, também foi meteórica 24 partidas! “Veio a ideia, exatamente,  que se falasse com Carpegiani que já tava já no final de carreira, com alguns problemas físicos, e ele era é o nosso treinador dentro de campo, nosso capitão. – ex jogador Junior.”

Do campo no banco pro banco, Campeão Carioca, Brasileiro, da Libertadores e Mundial! No São Paulo, Telê Santana durante cinco anos transformou o clube, Campeão Brasileiro de 91 Bi da Libertadores e Mundial em 92 e 93. A saída dele foi como o fim de uma era, AT/DT: antes e depois de Telê.

“Claro que a sombra do técnico, me passou, no caso Telê, grande vitorioso, grande treinador, um dos melhores do mundo, ela fica! – Muricy Ramalho.  Muricy tem lugar  cativo no coração do torcedor do São Paulo, mas demorou! Começou na base e depois como auxiliar do time principal, quando o Telê se afastou, por problemas de saúde Muricy foi opção natural.

“Eu fui preparado para assumir o lugar dele, mas só que não né nesse tempo eu assumir bem depois!” – Muricy.  A inexperiência pesou, e o primeiro voo solo durou apenas seis meses, porque o clube decidiu trazer Carlos Alberto Parreira, o então Campeão do Mundo com a seleção.

Muricy voltou a ser auxiliar, saiu, rodou o Brasil e só voltou depois de nove anos! Com ele o Morumbi virou MorumTri Campeão Brasileiro 2006, 2007 e 2008. No fim, tanto o São Paulo quanto aquele Flamengo seguiram conquistando o título. Doménec desembarcou cheio de objetivos e querendo aprender o português!

Pelo menos, no nosso idioma transição e no Espanhol transition são palavras tão parecidas que dá até para dizer que o Domé começou bem!!

Isso aê!! Boa sorte para Doménc Torrent e até a próxima.

ESTRÉIA DE DOMÉNEC TORRENT NO FLAMENGO
Scroll to top